Seguir por email

quinta-feira, 15 de junho de 2017

tinta permanente - João Pires - "Paixão por amar"

Medo do mar
romance por descobrir
paixão por amar
botão por florir

medo dos animais
não me conheço bem
sinais confidenciais
vem aí alguém

pousa uma pena de anjo
na pele de seda
das minhas pernas
voando daquela vereda

dá-me a tua mão
guiar-te-ei por oceanos
sem medos
de olhos fechados
sentindo apenas a minha mão
e a suave brisa do mar

mulher de horizontes largos
que nunca voou de olhos fechados
mulher de vista apurada
que vive no roda dentada
o que significa cativar?
partir para as nuvens e amar

Amar perdidamente
voando debaixo do céu azul
na perfeição sem desilusão
como se me conhecesse bem
asas de anjo em pele de seda
olhos brilhantes sem nunca prender
os horizontes que vão surgindo

os animais por descobrir
a sua confiança,
as gaivotas do mar
como companheiras
de viagens infinitas

dá-me a tua mão
e vamos voar !


12-06-2017


João Pires

domingo, 11 de junho de 2017

tinta permanente - João Pires - "Cais"

Cais

És parte da margem do rio
És parte da margem do mar
És Douro num lindo desafio
Embarque de mercadorias e passageiros


Que de noite vem pela calada
Desembarcam sem se ver
No meio da bicharada
Para se abastecer


Tens água que sobe
Barcos que passam ao largo
E nada te move
Da tua missão sem amargo


És cais que um dia
Acolheste o teu primeiro amor
Com grande acalmia
E sem grande pavor


És ainda lugar nas estações de caminho de ferro
Que espera gente
De todos os destinos
Com o relógio que marca o tempo


Há areia no cais
Perfume de verde-rio
Temperado com sal do mar
Assente em grandes pedras


E tu não chegas nunca mais
Noites tranquilas
Embaladas pela água
E o perfume da maresia


Segredos que me trazes
De noite para o cais
Levas mensagens


De manhã
Passavam os arrais
Montados nos barcos
Sempre confidenciais


Trago segredos
Das quintas do Douro
Entre as margens fluviais
Pelo meio de tantos penedos


Sou cais
Esperarei sempre por ti
Sei que um dia vais chegar


Desistirei jamais
De ver-te chegar
Saberei esperar
Nestas pedras desiguais



11-06-2017
João Pires 

segunda-feira, 22 de maio de 2017

tinta permanente - João Pires - "menina de cabelos soltos"

menina de cabelos soltos
aprisionada no palácio sem cor
voltado ao rio
com jardins de uma só cor


palácio de reis e princesas
noites de história
brilhantes, rubis e turquesas
homens e ventos de glória


artes, bobos e pascácios
paladino ou cavaleiro
história sem prefácio nem posfácio
procuras o teu mensageiro


da arte ou do amor
homem intrépido
que te brinde com uma flor
uma seta de cupido


uma canção de amor
num palácio sem cor
teus belos cabelos
olhos sem atropelos


és herdeira da coroa
mas só ouves
cantigas de amigo
viajas sempre na proa


em busca do cavaleiro
que há-de chegar
homem intrépido
defensor obstinado


és princesa
a primeira
e mais distinta
título de nobreza


notável pele
de sua nobreza
ai daquele
que duvide da tua beleza


vives num palácio sem cor
tens o rio Douro pela frente
será que o tem amor
chegará de forma diferente?


21-05-2017


João Pires

domingo, 14 de maio de 2017

tinta permanente - João Pires - "surges ao longe, na minha rua"

surges ao longe, na minha rua
o teu andar inconfundível
espalha um perfume de sensualidade
encantas as pedras da calçada
o transeunte que sustém a respiração

espalhas a tua alegria com determinação
caminhas confiante enquanto alisas o cabelo
brilhante como teu sorriso

e eu espero por ti, pela tua passagem
preparo-me, engulo em seco
o coração dispara sem aviso
quando sorris, o mundo abranda
olhas com olhos cheios de promessas

e eu sou crente
deixas-me em desalinho
A forma como andas na rua
enche-te de sensualidade
A forma como falas
engrandece o meu coração
não te encaixas em clichés

és mesmo tu
a sensualidade aflora em ti
com tudo o que a natureza te deu
passaste por mim
e eu continuo em suspenso
como todos os dias

13-05-2017

João Pires

domingo, 7 de maio de 2017

tinta permanente - João Pires - "Dia da Mãe"

Mãe, mulher que um dia foi terreno fértil
foi desejada, amou e aceitou a semente
carregas incertezas mas também amor no teu ventre
mulheres que esperam um dia ser mãe,
já o são sem saberem
anseios, incertezas, cuidados
mulher-mãe o será pela vida fora
papel irreversível, não descartável
será essa a essência da vida
És mulher, és mãe, és pai
respira o teu dia mãe-mulher
que o teu dia seja celebrado
celebrado em pleno
os teus filhos, esses estarão
na tua companhia ou pelo mundo fora
mulher, tu és mãe do mundo
pois então respira fundo
eu?
um simples filho da terra que te presta homenagem
Feliz dia da Mãe
7-5-2017
João Pires

sábado, 4 de março de 2017

tinta permanente - João Pires - "Reencontro-me no calor do teu abraço"

Reencontro-me no calor do teu abraço


Quero ficar nos teus braços
Ouvir o teu suspiro
Sentir a tua respiração
Beijos de carinho
Abraços de flores vermelhas
Caminhos que se cruzam num abraço
O calor do teu peito num enlace
Dançar ao som da música deslizante
E ver nascer o teu sorriso azul
Voar até ao oceano Atlântico
Subir ao Pico do Mundo
A troco de um amor a florescer
Subir, subir até ao Pico, lá em cima
Céu azul, nuvens de algodão
E o mar a toda a volta
Damos as mãos e celebramos a vida
Reencontro-me no teu abraço
No calor do teu regaço
No coração do teu sorriso
Na magia do teu enlace sentido
E a poesia da vida chega sem avisar
Gosto de apertar o teu regaço contra o meu peito
E sentir o teu coração junto de mim


João Pires

1 Março 2017

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

tinta permanente - João Pires - "Dá-me o teu sorriso"

Dá-me o teu sorriso - poesia

Dá-me o teu sorriso
Ilumino-te o coração
Vestidos de princesa
Mas é o sorriso
A minha perdição
Enche a alma
Dá-me o teu sorriso
E dedico-te a minha poesia
És alegria e simpatia
Mas é o teu sorriso que me enche de emoção
Aqui vai um chi-coração
Estende a tua mão
Quero um abraço
Ofereço-te um beijo no regaço
És alento com o teu sorriso
Alegria com um movimento de lábios
Princesa formosa
És fada da alegria
Abriste o meu coração com um sorriso
Dá-me o teu sorriso
Cantarei para ti
Queres dançar comigo debaixo das estrelas?
És sorriso aberto, olhos redondos
Sabes ser sorriso ousado
As tuas emoções brilham nos olhos
É a tua felicidade que me contagia
A tua boca diz palavras bonitas
Mas o teu sorriso, encanta
Quando sorris, os teus olhos acompanham
Caminha lentamente, se tiver de ser
Mas por favor: não pares.
Conquistas com um simples sorriso
E vens na minha direcção
Abro os braços para ti
Abraço-te até ser dia.
És flor, és perfume.
Pétala a pétala, descubro o teu sorriso
Mulher ancorada
Solto as tuas amarras


Dou-te um sorriso
Devolves um beijo.

14-02-2017

João Pires



terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

tinta permanente - João Pires - "Ilumina-me"

Dá-me a tua mão!
Dou-te a minha mão!
Abraça-me até esborratar o batom
Até desaparecer o vermelho
Se eu conseguir beijar a tua alma
Então meu corpo seguirá o caminho!
Já esqueci as palavras perdidas no nevoeiro
De noite


Ilumina-me
Ilumina-me e abraço-te
Palavras perdidas em estrada de motel
O céu azul começa a despontar
Procurei a felicidade no dinheiro
Procurei a ambição do poder
Procurei emoção no prazer
Não encontrei alegria
Marquei encontro comigo mesmo, mais logo.
Afasto-me da estrada da solidão
Da minha solidão


Ilumina-me
Ilumina-me e eu abraço-te
Num aconchego doce
Beijo-te, já sem o vermelho do batom
Sonho
Caminho no sonho, sem luz

tinta permanente - João Pires - "Ilumina-me"
tinta permanente - João Pires - "Ilumina-me"



Ilumina-me
Vou para o sonho às escuras
Encontro-te por lá. No sonho
Abraço-te e beijas-me com tempo
Abraços e beijos
Danças comigo? Esta noite?
O sonho continua sem parar
Tenho quase a certeza que pertenço ao sonho de onde vim!
O sol já mergulha no mar
Abraça-me e ilumino-te


Iluminas-me com o teu sorriso
Ilumino-te com o meu abraço
Abraços de luz
Beijos, abraços e carinhos
Será sonho?
Dá-me a tua mão!




07-02-2017

João Pires

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

tinta permanente - João Pires - "Abraça-me"

Abraça-me


Vem voar comigo. Amizade sincera de raiz profunda, que nenhuma tempestade te consiga arrancar da terra. Quando irei saber como consolar alguém ou oferecer abrigo? Liberto-me do sofrimento, sem escapar à dor.


Dá-me um abraço.
A melhor pessoa para aliviar as minhas dores, males e angústias, sou eu mesmo.


Dá-me um abraço.
Onde estão os beijos que agora preciso?


tinta permanente - João Pires - "Abraça-me"
tinta permanente - João Pires - "Abraça-me"



Abraça-me.
Olho para o céu azul e vejo o sol brilhante. Não estou lá para voar contigo.
Sei que a Lua brilhará para mim, mas só mais tarde.
Luz morna e brilhante numa tarde fria. Sou rei sol, sou espírito de diversão numa estrada deserta sem fim. O caminho é belo, mesmo assim. Aprecio tudo à minha volta. A natureza está quase despida. Vegetação pardacenta.
Sigo em frente, mas a geografia dos afectos atrapalha-me a viagem.


Abraça-me.
Noite de luzes rolantes, caminhos sem destino. E a Lua lá em cima já brilha. Imaginei ter visto um rosto conhecido. Mas depressa descobri que afinal não eras tu. Desencontros.


Abraça-me, sem fazeres perguntas.
O teu rosto que me iluminou tantas vezes, que me deixou o coração sempre mais feliz deixou agora marcas dentro de mim.
O sol foi desaparecendo suavemente, com a promessa de voltar a amanhã. Chegou o tempo das folhas caídas e do vento frio. Foram-se os dias longos. Tornam-se aborrecidos e efémeros. E tu teimas em não chegar.


Por favor, abraça-me agora.
Passou a reinar a noite escura, dos cobertores e das mantas. Das lareiras e aconchegos. E os sons agudos apitam lá fora, ao longe. Serão vozes humanas a suplicar clemência? Desfilam ainda notas musicais em catadupa desordenada, marteladas num piano qualquer de cauda preta. Mas tu já estás ao meu lado.


Abraça-me aqui e agora.
Como se não houvesse mais estrada para percorrer. Ilumina-me com o brilho dos teus olhos. Procuro guardá-lo dentro de mim. A candura do teu sorriso faz despertar em mim a Primavera dos sentidos. Afinal tu és a minha Lua. Agora já vejo estrelas no céu escuro.


Abraça-me até ser de manhã.


19-01-2017

João Pires